4a24db5f-7cb6-4e14-bf4e-6b706132fffe Manual do Frugal. Seja frugal, viva de forma sustentável, economize dinheiro de forma consciente, fique milionário e encontre a sonhada independência financeira. Seja feliz.

Sobre mim, o início

 Julgo este post extremamente importante, pois da mesma forma que eu conheci a frugalidade outros podem conhecer e  algumas características pessoais minhas são muito importantes na hora de compreender o contexto social de parte das dicas que serão postadas.
A parte importante do contexto social é a seguinte:
Sou homem e bem jovem. Jovem a ponto de estar na terra na queda do mundo de Berlin, mas não velho o suficiente para assisti-la. Sou solteiro, o que facilita demais a adoção de algumas dicas mais extremas de frugalidade. Se mudar uma mentalidade já é difícil o que dirá mudar a mentalidade de uma mulher e de filhos. Falando em filhos, não os possuo, mas tenho total consciência de que cria-los dentro desta filosofia é muito mais fácil do que mostrar-lhes o doce mundo do consumismo total e depois retirar isto deles sem qualquer piedade.
Moro sozinho em uma cidade grande e trabalho. Ganho muito bem se for pensar na média brasileira, mas não tão bem quanto você está pensando. Um bom salário de alguém que tenha faculdade, acho que já é possível ter uma noção de valores.
Por enquanto isto é o suficiente a ser compartilhado sobre minhas características, porém, obviamente escreverei mais no decorrer das dicas e posts.
Agora vou falar um pouco de como conheci a frugalidade, ou melhor, como ingressei nessa. Duas palavrinhas simples, difíceis de serem conquistadas e que mudaram completamente a minha forma de viver no momento que as conheci.
Independência Financeira.
Me lembro como se fosse hoje meu primeiro dia de trabalho formal, sabe, das oito as seis, dentro de um escritório. Eu era um aprendiz cursando o curso técnico e com quatorze anos. Hoje eu vejo que comecei novo demais. As coisas nem sempre foram fáceis em casa, mas não morri e ouso dizer que até me fez bem :) .
O que me lembro com mais clareza foi o sentimento mais forte que havia dentro de mim. Meu Deus como eu senti vontade de ir embora daquele lugar.
Talvez a minha primeira experiência que tenha sido ruim demais, porém desde o primeiro dia eu já sentia nojo daquele ambiente opressor, onde os chefes ficavam passando entre as mesas e mandando fazer silêncio a cada troca de palavras. A forma com que as ordens eram gritadas pelos chefes de forma até a humilhar alguns funcionários. A forma que eu percebia que alguns gerentes sabiam menos do que eu no alto dos meus quatorze anos. A forma com que algumas pessoas mudavam de postura na frente dos patrões enfim, todos os problemas que todo mundo que já foi pra labuta algum dia já vivenciou eu vivenciava neste meu primeiro dia. E neste mesmo dia eu tomei uma decisão. Se aquilo era o que chamavam de trabalhar eu não queria aquilo para a minha vida, pelo menos não até os meus quarenta anos.
Imagina, uma vida inteira mofando dentro de um escritório contando os minutos até o fim de semana e sofrendo todos os problemas que eu senti no meu primeiro dia, isto não é viver, ou pelo menos é viver errado.
Neste mesmo dia através da internet eu comecei a estudar sobre como parar de trabalhar de forma honesta (é claro) e cheguei nas palavras Independência Financeira. Comecei a ler sobre investimentos, continuei estudando sobre renda fixa, poupança, CDBs e etc. O tempo foi passando eu continuei trabalhando e lendo sobre Tesouro Direto, Ações, Dividendos e Fundos Imobiliários e decidi que era isto. Este é o meu objetivo: sair da corrida dos ratos.
Não quero depender de um contracheque todo fim de mês morrendo de medo de ser mandado embora no mês seguinte e ficar com uma mão na frente e outra atrás. Não quero ter medo de comprar um carro ou colocar um filho na faculdade, pois não tenho controle do meu futuro. Eu preciso ter o controle da minha vida. Uma coisa tão importante não pode estar nas mãos de um gerente, do pessoal do RH, da diretoria da fábrica ou de qualquer outra pessoa senão EU.
Quero liberdade, independência financeira.
Nestes estudos li sobre milionários da bolsa de valores americana, brasileira, chinesa e etc. Cheguei neles estudando a forma que eles investiam, as estratégias de investimento e etc, e acabei esbarrando em um assunto igualmente interessante.
Frugalidade.
Uma das características mais fortes que todos estes investidores de sucesso tinham era a frugalidade. Eles tinham patrimônios que os permitiam viver como reis, porém, seguiam vivendo na mesma casa há trinta anos, dirigindo carros populares, comendo em restaurantes que eles julgavam prazerosos, mas que não eram exatamente referências internacionais.
O que é isto? Por que isto? eu pensava. Sendo tão mesquinho assim até eu fico milionário uma hora. Demorou um tempo até eu entender que isto não é sovinagem, é maturidade.
Warren Buffett disse que não andava de motorista simplesmente porque não precisava de um. Morava na mesma casa, no mesmo bairro simplesmente porque todos os seus amigos estavam lá e ele adorava a sua casa. Quem é capaz de afirmar o contrário, ele está certíssimo. Ele gosta disso e é isto que ELE precisa para ser feliz.
Muito antes de Buffett, Benjamin Franklin já nos presenteava com a máxima: “cada centavo poupado é um centavo ganho”. Quando eu junto esta ideia com o modo de vida de Warren Buffett isto me faz tanto sentido.
Pessoas arriscam tudo na bolsa todos os dias e trabalham quase quatorze horas por dia em busca de rendimentos brutos para conseguirem comprar um carro que não precisam para impressionar pessoas que não gostam e acabam trabalhando a vida inteira neste circulo vicioso. Me perdoem os descrentes, mas ISTO, não faz sentido algum.
Parafraseando o grande Marcelo D2: “Uns querem dinheiro, outros só querem emprego. Eu vou tipo Tim Maia, o que eu quero é sossego”.

A pergunta é O quê você quer?

Um comentário:

  1. Eu quero independência financeira e ser EL FODÃO COMEDOR sem ter que me esforçar haha

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...