4a24db5f-7cb6-4e14-bf4e-6b706132fffe Manual do Frugal. Seja frugal, viva de forma sustentável, economize dinheiro de forma consciente, fique milionário e encontre a sonhada independência financeira. Seja feliz.
Mostrando postagens com marcador Mobilidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mobilidade. Mostrar todas as postagens

8 de jun de 2014

Frugalidade Fácil. Controle de Combustível. Carros para locomoção.


Olá amigos, na postagem passada demos introdução a uma série de três artigos falando sobre como podemos levar ao máximo o nosso desempenho em transporte privado. No post passado especificamente falamos sobre motos: como escolher uma máquina destas e a melhor moto possível para o frugal que precisa se locomover de cima para baixo e não quer gastar muito com gasolina, seguro e manutenção.

Dando sequência a série falaremos sobre carros. Como escolher, quais são os custos e o melhor carro para o frugal que quer se locomover com inteligência.

Bom, já inicio o post dizendo o que noventa porcento dos que estão aqui sabem: carro não é um investimento. Só vai lhe dar despesa e ele jamais vai ser uma ferramenta para poupar dinheiro. Digo isto, pois, a moto, por exemplo, com MUUUUITA boa vontade, até pode ser tratada como uma espécie de investimento, isto é, para aqueles que pegam mais de um ônibus por dia, talvez metro ou trens não integrados e chega a gastar mais de dez reais por dia apenas com transporte publico até pode ser vantajoso em termos financeiros à aquisição de uma moto. Com a moto você poupa dinheiro de passagens e de quebra tempo que você pode aproveitar da maneira que julgar mais inteligente, nos fins de semana pode também fazer um bico com entregas. Já com o carro a conversa é mais embaixo.

Um carro NUNCA será mais vantajoso que o transporte público, NUNCA. Nem mais vantajoso que uma moto ele é, quanto mais que o transporte publico. Quem tem um carro hoje em dia é na sua maior parte por comodismo ou vontade mesmo. Como eu disse lá nos primeiros posts conceituais frugalidade não é se privar de tudo como um idiota, frugalidade é adquirir coisas que você precisa para ser feliz da forma mais inteligente e econômica possível.

Se for um carro que vai mudar a sua qualidade de vida de forma drástica então vamos sentar e estudar como comprar um carro de forma inteligente e frugal, e depois de adquirido, cuidar muito bem dele para que ele dure muito e você não fique trocando o veiculo a cada dois anos como um brasileiro padrão que vai trabalhar para a vida inteira.



Vamos para a prática. Não existe carro mais econômico do que os modelos 1.0 de 16 válvulas. Pesquisei muito e cheguei à conclusão que este tipo de motor é aquela linha que todas as fabricas fazem para bater. Carros com pouco conforto, e que aguentam pancada.

Dentro dessa linha temos:
  • Celta - 10.7 Km/L
  • Uno - 12.3 Km/L
  • Clio  - 14.3 Km/L
  • Palio - 12.3 Km/L
  • Gol - 11.8 Km/L
  • Ka - 11.6 Km/L
A média destes motores é de 12 quilômetros por litro na cidade, o que é ótimo, mas o vencedor absoluto é com certeza o Renault Clio. Este chega a incríveis 14.3 quilômetros por litro. Os motores Renault são historicamente mais econômicos e fracos do que os seus correspondentes de mesma linha. Compare um Renault Sandero com um Gol e verá que o torque do Gol é muito mais poderoso. Como procuramos economia e não torque e velocidade ficamos com a Renault, e neste caso o Clio.

PS.: Nessa pesquisa procurei o QQ da Chery, crente que ele seria um espetáculo de economia de combustíveis e quase caí para traz quando li que ele faz apenas 11 Km por litro. Uma porcariazinha daquela deveria fazer no mínimo 15 Km/L.

Falemos então de preço. A regra aqui, assim como em tudo na vida é paciência e pesquisa. A aquisição de um bom carro exige garimpo. A ideia aqui é comprar um carro dois ou três anos abaixo do zero. Adquirir um carro zero está fora de cogitação. Não é inteligente fazer um boletão com o dobro do preço do valor do carro e perder cinco mil reais de desvalorização só de colocar o pneu pra fora da concessionária. A ideia é que um carro de dois ou três anos apenas, não rodou nem trinta mil quilômetros, o que faz dele um carro novo. A melhor coisa é comprar carros através de vendas particulares, você conhece o antigo dono, pode ver o perfil dele, se ele destruiu o carro completamente ou se era uma pessoa que cuidava do veículo. Vendas particulares também tendem a ser mais flexíveis quando as pessoas veem a maleta com dinheiro a vista :). Eu posso ter uma linha de raciocínio um pouco xiita, mas a compra de um carro popular como é o escopo deste artigo deve ser feita a vista. SEMPRE. Veja quinze mil reais não é exatamente uma fortuna. Alguns blogueiros conseguem juntar este valor com aportes em menos de um ano, e se você lê este paragrafo, me acha um idiota por que você pensa que quinze mil reais é um valor intangível para você sem um financiamento de três ou quatro anos, acredite em mim, você não está preparado para ter um carro. Estude, aumente seu rendimento, ande de ônibus ou moto (se puder compra-la também a vista) e em um futuro próximo poderá comprar um carrinho à vista.
Fuja daqueles calhambeques velhos que você encontra por cinco mil reais de um amigo de um amigo. É uma máquina de comer combustível, dinheiro de manutenção. Das poucas experiências de pessoas que vi comprando carros assim, em dois meses estavam andando a pé novamente. Ou porque não tinham dinheiro para bancar o combustível ou porque o carro estava com problemas mecânicos tão grandes que simplesmente não dava para andar nele.

Voltando aos nossos carros 1.0, oo pesquisar no webmotors temos as seguintes médias de preços para carros 2012:

  • Celta - R$ 18.000
  • Uno - R$ 17.000
  • Clio - R$ 18.000
  • Palio - R$ 17.000
  • Gol - R$ 17.000
  • Ka - R$ 20.000
Aqui é bem relativo, como fui até o webmotors o risco de tranqueiras é muito grande, e fica ainda mais aparente quando pegamos carros populares como Uno, Palio e Gol. Nestes carros o preço varia muito, encontrei alguns até por quatorze mil reais, mas quando a esmola é demais...
A ideia aqui é mostrar como é difícil encontrar uma boa compra, o ideal é conhecer algum mecânico, ou ao menos procurar alguém sério para lhe dizer se o carro está em boa condição antes de compra-lo. Lembre-se: é muito melhor gastar um dinheiro agora com isto do que ficar com uma bucha nas mãos.
Como eu disse é difícil determinar um veículo vencedor para esta categoria, gostaria apenas de deixar mais uma vez bem claro o quanto a pesquisa e cautela são vitais neste processo.

Lembre-se, busque um carro com o intuito de continuar com ele por no mínimo oito anos. Este também é outro motivo de você procurar um carro seminovo em bom estado e não um corola 1997, por exemplo :).

Prefira pagar R$ 17.000 uma vez (eu sei, é uma fortuna), do que cinco mil agora, mais sete mil daqui a dois anos e depois mais dez mil em quatro anos e na prática nenhum dos carros comprados presta, recado direto para os roleiros :).

Um custo que não pode faltar na sua planilha de gastos com o carro é o seguro. Pessoalmente eu não trabalho com a possibilidade de ficar sem seguro, imaginando que você compre um carro nos moldes que eu escrevi aqui você tem um patrimônio de no mínimo quinze mil reais e é complicado ver todo este dinheiro ser jogado fora em algum assalto, batida ou acidente, principalmente se o acidente for envolvendo um Porsche Cayenne :).

A revista quatro rodas fez diversos comparativos de seguros dos populares nas capitais brasileiras, aqui e aqui. Neste caso a revista encontrou um padrão, o Celta segue sempre como o mais barato enquanto Clio e o Ford KA dividem a segunda posição. O gol está fora de cogitação, pois é só o carro mais visado da história por suas peças servirem até em geradores de energia no campo.
Nas MINHAS pesquisas eu discordaria um pouco da quatro rodas, a média encontrada em fóruns e sites de corretores foi a seguinte:
  • Celta - R$ 1.500
  • Clio - R$ 1.600
  • Ka - R$ 1.000
(Todos os valores com base em um homem com menos de vinte e cinco anos)

Neste quesito o vencedor absoluto é com certeza o Ford Ka.

Por fim falaremos um pouco de manutenção. Esta questão é completamente dependente da escolha do seu carro. Se você escolheu bem é provável que fique todo o tempo com seu carro sem qualquer problema, desde que faça é claro as manutenções básicas.
Por serem todos modelos básicos e 1.0 a manutenção é relativamente simples e barata e dificilmente superará os mil reais anuais, mas só para não perder o costume deixo uma pesquisa aqui.
Não julgo este quesito muito determinante na hora da compra, pois todos os carros escolhidos possuem manutenção barata, mas é sempre bom saber que seu carro está na lista dos top 10 mais baratos em manutenção.

Bom, eu creio que tenha abordado a maioria dos custos relevantes na hora de escolha de um carro, temos ainda outros valores como IPVA e seguro obrigatório, porém não achei necessário especifica-lo, pois todos os carros descritos possuem valores similares, uma vez que depende do valor de tabela dos mesmos. Após todas estas observações a conclusão que chego é que o Ka e o Clio (com ligeira vantagem ao Clio) são os melhores carros para quem deseja manter-se frugal, dentro do possível, em sua decisão e ter um carro para chamar de seu. 

Como eu disse o carro é um luxo que apenas quem pode pagar deveria se dar, se você não sente minimamente confortável com todos os gastos que descrevi, ou então ficará com o orçamento apertado em razão do automóvel é provável que não esteja preparado para ter um carro, estude, aumente seu rendimento e em breve poderá ter um possante.

Agradeço a todos que chegaram até aqui, abraços




Continue Lendo ...

31 de mai de 2014

Frugalidade Fácil. Controle de Combustível. Motos para locomoção.

Olá a todos, depois de um longo inverno fora, o qual eu não me orgulho, estou aqui novamente. Foi um período difícil para mim, monografia da pós, troca de emprego, eu realmente peço desculpa a todos pela falta de comprometimento com o blog. Odeio dar desculpas, entretanto, uma coisa interessante, e que fiquei MUITO feliz mesmo neste difícil período foi conseguir pagar algumas despesas básicas usando o dinheiro dos meus fundos imobiliários.

Vivi um período de frugalidade extrema, diga-se, fiquei dois meses vivendo com quinhentos e poucos reais, mas não toquei na minha poupança nem no montante investido, apenas deixei de reinvestir os proventos por dois meses. Foi lindo, indescritível sentir, mesmo que seja só um pouquinho, do gosto da independência financeira, e detalhe: meu padrão de vida manteve-se o mesmo. Fazendo academia, artes marciais e tudo que gosto, não cortei nada.


Outra coisa também é que muitas das dicas de frugalidade que eu costumo usar já estão neste blog então por diversas vezes eu me pegava pensando o que postar e não conseguia pensar em nada de cabeça, mas enfim, estamos aqui.

Estamos aqui e já vamos com uma dica que julgo importantíssima na nossa atual conjuntura. O controle de combustível por quilometro que você gasta. Se não me engano a gasolina no ano passado estava em torno de dois e quarenta, este ano já vejo aqui na minha cidade postos com a mesma a dois e noventa. Vinte porcento de aumento em um ano. Bem acima de inflação inclusive, e se o transporte privado é uma realidade na sua vida e não existe outra maneira de locomover-se a única saída é procurar maneiras de fazê-lo mais econômico, mas vamos começar do início. Este post será dividido em três partes para conseguir abordar tudo sobre o tema sem que o post fique grande e pesado.



O transporte mais econômico que existe é a sola de sapato, não tem jeito, depois vem à bicicleta para distâncias médias, e então as bicicletas dobráveis em conjunto ao transporte público para distâncias maiores, depois as motos e só então os carros.

Neste conjunto de posts tratarei apenas sobre motos e carros, pois os outros meios de transporte já foram abordados neste blog.

Se você pode escolher, e quer o mais em conta, escolha uma moto. É o transporte mais barato e econômico em relação a gasto de combustíveis, mas antes de escolher a máquina você deve levar em consideração os seguintes itens:

  • Preço: não preciso detalhar.
  • O quanto ela é visada: Não tem jeito, quando você anda de moto você é mais visado pelos marginais. É fácil de roubar, muito usada em outros furtos e a demanda por peças é muito alta. 
  • Seguro: Não dá para ficar sem.
  • Desempenho: Ter uma moto que responda com força aos seus comandos é uma questão de segurança. Talvez nem tanto na cidade, mas em uma rodovia, ter uma moto relativamente robusta é obrigatório. Não dá para pegar estrada com aquelas pequeninas do tipo 50cc.
  • Gasto de combustível: Claro!
  • Qualidade: A moto precisa ser boa, de qualidade, resistente e que aguente porrada, imaginando que você vá andar sem dó pra cima e pra baixo nela.
  • Manutenção: baixa e quando dá é barato.
  • Experiência: É vital se conhecer. Pegar uma moto 500cc se você nunca andou de moto é pedir para morrer. Você precisa aprender a malícia da moto, das ruas e das curvas. Não existe melhor escola de duas rodas do que uma moto 125cc.
 Nas pesquisas que efetuei na internet e com amigos velhos motociclistas cheguei à conclusão de que a melhor moto em relação a custo benefício e que obedece todos os quesitos acima é a Suzuki Yes 125cc.

Não quero parecer estar fazendo propaganda, mas é a conclusão que cheguei e sintam-se livres para discordar. Estamos aqui para discussão mesmo.

Comparei todas do segmento 125cc, eu creio ser uma unanimidade que esta é a melhor faixa de motos em relação a custo benefício. São as motos que mais rendem em termos de gasto de combustível, são muito fortes em relação a motor e manutenção baixa e barata. São motos criadas para bater. Feitas para a demanda de motoboys, portanto, é bem difícil que uma dessas não aguente o seu tranco.

A 125cc lhe permite pegar a estrada sem medo e com total segurança, diferente daquelas Traxx e Scooters de 50cc. Não existem condições de pegar estrada com estas, são para cidade e olhe lá. Não aguentam pancadas e tem manutenção um pouco mais cara.

Dentro das concorrentes 125cc temos a famosa CG e algumas da Dafra e Sundown. Estas duas últimas foram retiradas da lista assim que todo mundo que eu perguntava dizia ser uma porcaria em relação à qualidade. Na verdade arranquei alguns risos quando eu conversava sobre estas motos, diziam ser descartáveis.
Motos novas dando problemas que não são cobertos por garantia, baixa qualidade nos materiais enfim, cortadas. Estas motos são segunda linha da Honda ou de mercados emergentes, portanto o custo benefício precisa valer muito a pena para você escolhê-las.

Neste caso, não vale.

A análise ficou forte com a CG, que é a líder da categoria. Uma ótima moto, mas, extremamente visada. Você não encontra corretoras de seguro dispostas a trabalhar com a sua CG e quando fazem é de mil e duzentos para cima, isto é, mais caro do que o seguro de muito carro. Sem falar no preço que é maior do que a da sua concorrente.

A Suzuki Yes traz a qualidade da Suzuki e diversos itens já de fábrica como freio a disco, chave da moto com sistema antifurto e diversos outros detalhes legais, pesquise... 
O seguro dela fica em torno de quatrocentos e quinhentos reais. Por algum motivo que não consigo entender ela é muito menos visada do que sua concorrente.

O consumo da mesma fica em torno de trinta e trinta e cinco km por litro, algo que os motoristas de carro nem sonham e o preço é extremamente convidativo.

Na hora de comprar primeira lei é a pesquisa. O melhor cenário é encontrar uma moto usada em ótimo estado de conservação, você evita aquela desvalorização de porta de loja, e por vezes, se tiver dinheiro na mão, faz ótimos negócios com pessoas que estão com a máquina parada em casa. Não é incomum encontrar pessoas que compraram uma moto e não gostaram da pilotagem, ou não se adaptaram a mesma e acabam vendendo-a com menos de dez mil quilômetros rodados, isto é, novas!

A segunda lei é se proteger de espertinhos. É trivial fraudar a quilometragem de uma moto ou de um carro, sem muito trabalho qualquer um pode mudar uma magrela de cem mil quilômetros rodados para dois mil, portanto, é vital conhecer um pouco de mecânica, ter um amigo que conheça ou pelo menos ter um mecânico de confiança, para que ele possa lhe dizer se é uma moto boa e que não vai lhe dar dor de cabeça.

A chave de tudo é a pesquisa. Em último caso, se a diferença do preço de uma moto seminova e uma zero quilometro não for muito grande, vale a pena comprar a moto zero de uma vez e ficar tranquilo em relação à qualidade e mecânica da mesma. Você contará com garantia e revisões especificas de fabrica para cuidar ainda melhor da sua máquina e poderá se preocupar com outras coisas.

Um assunto obrigatório ao falar de motos é a forma que você a conduz. Pessoalmente não gosto muito deste tipo de direção, pois, como não é segredo para ninguém, busco incansavelmente a independência financeira, e eu não gostaria que todo este trabalho e privação fossem em vão morrendo em alguma esquina por aí ou me machucando com sequelas permanentes.

Lembre-se o maior aliado da independência financeira é o tempo. Quero ter saúde para poder gozar dos meus proventos e dividendos no futuro. Apenas o ato de andar de moto já é uma loucura com um risco altíssimo quando pensamos na quantidade retardados fazendo merda no trânsito, seja por incompetência ou desvio de caráter mesmo. Você não precisa aumentar este risco dirigindo como um idiota por aí.

A regra geral aqui é a autopreservação, e a melhor forma de fazer isto é pilotar sua moto como se fosse um carro. Nada de costuras, corredores no máximo em faróis, atenção total a tudo e tratar a todos como potenciais idiotas, creio que esta seja a principal regra.

Não seja um babaca.

Não é de se espantar que o número de mulheres sobre duas rodas aumentou muito e mesmo assim a quantidade de acidentes com elas seja baixo. Talvez por questões culturais, sei lá, mulheres não são malucas confiantes no trânsito e isso faz delas ótimas motoristas.

Sobre motos é isto amigos. Creio que eu tenha coberto grande parte do que faz a escolha de uma moto. Nos próximos posts falarei da escolha de um carro e por fim as dicas práticas para poupar combustível usando estes dois meios de transporte.

Espero que tenham gostado.

Abraços

Continue Lendo ...

16 de set de 2013

Frugalidade Fácil. Manutenção básica do seu carro.

Se você tem um bem precisa se dispor a cuidar dele da melhor forma possível. Se você possuí um bem caro como um carro precisa ser ainda mais atencioso com as manutenções básicas do seu veículo.
A manutenção básica é simples, barata e pouco invasiva. Em geral ela verifica itens simples do motor e dos pneus, como eu já disse no post anterior a este.
A cada dez mil quilômetros, ou seis meses você precisa:
  • Trocar o óleo do seu motor.
  • Trocar o filtro de óleo
  • Trocar o filtro de gasolina
  • Trocar o filtro de ar
  • Efetuar o rodízio dos pneus
  • Efetuar o alinhamento dos pneus
  • Efetuar o balanceamento dos pneus
A conta disso tudo não vai ficar mais barata do que trezentos reais e fica pior quando pensamos que isto será feito no mínimo a cada seis meses, mas aquela máxima é real e necessária: O carro é como um filho e os gastos que ele dá são nessa proporção. Procure pensar que esta manutenção básica serve como uma forma de investimento. Estas pequenas atitudes semestrais podem salvar-lhe um grande dinheiro no futuro com possíveis problemas mais caros dentro do motor.

Como eu disse no post anterior. Preste bastante atenção na forma que você dirige. De nada adianta ter um carro perfeitinho e arrebentar ele todos os dias passando sem diminuir a velocidade em buracos e etc. Este tipo de poupança é burra e na prática não te salva nenhum centavo. Pratique sempre a direção defensiva e com certeza você poupará muito dinheiro ao dirigir, com gasolina e com manutenção.
Abraços

Continue Lendo ...

Frugalidade Fácil. Aumentando a vida dos pneus do Carro.

Para aqueles que possuem um carro tenho dicas simples, fáceis e super importantes para fazer os seus pneus durarem mais. As regras básicas da frugalidade são: fazer mais com menos e conservar os itens que são dados a nós. Para fazer mais com o pneu dos nossos carros precisamos estar atentos a alguns itens:
Manter os pneus do seu carro sempre calibrados. Está é apenas uma das varias técnicas de como economizar dinheiro ao dirigir, pretendo falar disso mais para frente. Um pneu murcho oferece resistência no rolamento. Cada vinte porcento de pressão à menos representa dois porcento a mais no gasto de combustível do seu carro. Sem falar no considerável aumento do desgaste do pneu.

Você gastará mais dinheiro com combustível e com pneus no longo prazo.
Portanto, verifique no manual a pressão ideal dos seus pneus e os calibre corretamente. O ideal é calibra-los uma vez por semana e sem se esquecer do step.
Outra dica importante é o rodizio periódico com alinhamento e balanceamento. A quilometragem ideal para efetuar o rodizio periódico, alinhamento e balanceamento dos pneus do seu veículo é a cada dez mil quilômetros rodados. Para aqueles que não trocam óleo em casa é uma boa fazer todos estes serviços no momento em que o óleo é trocado. O carro fica parado uma vez só e você sempre terá o controle da quilometragem.


Todos estes serviços custarão de duzentos a trezentos reais a cada dez mil quilômetros, e acredite: estes são os menores custos de um carro. Infelizmente automóvel é isto, praticamente um filho, e bem gastão.
Ah, claro, acredito que eu nem preciso mencionar que você deve mudar a forma que dirige.  Nada de arrancadas, freadas bruscas, curvas cantando pneu, passar corretamente (em velocidade baixa e com o carro solto e não freando) sobre lombadas e outros obstáculos, evitar subir em calçadas e evitar estacionar sobre manchas de óleo que deterioram a borracha do seu pneu.

Na pratica coloque uma coisa na sua cabeça você não é o Dominic Toretto.
Abraços

Continue Lendo ...

Frugalidade Extrema. Bikes dobráveis.

Gosto de separar os tipos de frugalidade na facilidade de aplicação delas. Algumas são frugalidades extremas, aquelas difíceis de serem aplicadas. Outras de nível médio, e outras fáceis de serem aplicadas.


Esta dica é uma que pessoalmente eu gosto muito. Começa da conhecida ideia de que não existe meio de transporte mais barato e sustentável do que uma boa e velha bicicleta.
A questão é que eu sei que é muito mais fácil dizer, ou escrever, para todo mundo começar a utilizar bicicletas do que aplicar este modo de vida. Assim como eu muitos aqui trabalham, estudam todos dias e acabam com diversos obstáculos impostos em seu dia a dia para o não uso de bicicletas.
Alguns não podem nem pensar em chegar ensopados no trabalho em um dia de chuva. Andar mais dez quilômetros até o trabalho também pode ser um desafio para um ciclista iniciante, o que fazer a noite? Será que não é perigoso?
Enfim existem diversos obstáculos para o não uso das bikes, porém também existem diversas vantagens neste meio de transporte.
A primeira coisa é que não existem custos fixos, nada de combustíveis, nada de IPVAs, seguros, e nem prestações. Nada de depreciação, manutenção e muito menos custo de oportunidade. O dinheiro sobra quando você faz as contas do quanto pouparia se parasse de gastar com transportes.
Alguns estudos chegam a dizer que o custo de um carro popular por ano chega a quase setenta porcento do valor do próprio carro. Notem que estou pegando um carro de trinta mil que é dito “popular”.
Existem dois absurdos nesta sentença. O primeiro é um carro popular custar trinta mil reais. O outro é este estupro cometido na hora de manter o carro.
É amigos, estamos no Brasil, lugar onde fazer muitas contas não é saudável.
Pessoalmente gosto de pensar que andando de bike ajudo o planeta, me mantenho saudável e sou menos um carro nas ruas. Penso nisso como um benefício extra. Outra coisa legal é que eu adoro andar de bike então vou trabalhar de bicicleta, volto para casa na hora do almoço em cima da magrela, vou trabalhar novamente e assim vai. Me divirto neste processo. Enquanto meus companheiros de trabalho almoçam em restaurantes caros, gastam muito dinheiro por mês, comem comida frita e gorda, e terminam sua hora de almoço sentados na frente do computador lendo algumas notícias ruins eu estou andando de bicicleta por aí.
Me divirto na hora do almoço e de quebra economizo um bom dinheiro. :) .
Hoje em dia não tenho carro. Importante dizer que é muito mais por opção do que por dificuldades financeiras, mas admito que não dá pra levar a magrela para todo o lado. Tenho uma bicicleta comum daquelas grandes que são boas para andar, mas péssimas no manuseio, isto é, encontrar um lugar pra guarda-las, coloca-las dentro de um carro e etc. Para minha felicidade a solução para este problema já existe e está por aí, inclusive eu já vi algumas destas rodando nas ruas.
São as bicicletas dobráveis. Fazendo uma pesquisa na internet encontrei a Dahon que é uma marca especializada neste tipo de bike, mas existem outras marcas por aí (Vale a pena dar uma visitada no site da marca).
O mais interessante neste caso é que uma bicicleta dobrável pode ser colocada dentro de uma bolsa nas suas costas e você saí por aí. Pensando um pouco com calma nota-se que as possibilidades são imensas.
Você está indo para o trabalho e sentiu o primeiro pingo de chuva. Tranquilo. Dobra a bike, coloca nas costas e pega um ônibus. Mais simples é impossível.
Se você vai trabalhar de bicicleta e não tem lugar pra colocar a mesma, dobra a dita e enfia embaixo da mesa.
O mais legal é que você não precisa ser extremista e tentar pedalar oitenta quilômetros para ir trabalhar. Se você mora longe do seu trabalho e pega duas conduções, você pega a primeira com a bicicleta nas costas, desce um pouco mais perto do trabalho e ao invés de gastar uma grana com a segunda condução vá de magrela.
Você vai na casa de um amigo, voltará a noite e teme que pode ser perigoso? A solução é fácil. Vai de bicicleta e na hora de voltar chama um táxi e volta pra casa em segurança. Pode ter certeza que mesmo que você ande de táxi todo fim de semana gastará muito menos dinheiro do que os vinte mil reais por ano só para manter seu carro dito popular.
Lembre-se, frugalidade não é privação. Você não vai deixar de ir na casa do seu amigo por que não tem um carro.
Pelo que pude ver no site da Dahon estas bicicletas são inteligentes, e bastante leves. Feitas para serem colocadas nas costas mesmo. Uma desta já está na minha lista de INVESTIMENTOS, em breve farei a aquisição de uma. Não comprei ainda, pois estou pesquisando muito e me parece que estas magrelas são muito mais baratas nos Estados Unidos, então estou esperando algum conhecido (ou não) fazer alguma viagem pra fora pra chorar para que ele me traga uma.
Creio que seja isso pessoal, começo o primeiro post com uma dica forte de frugalidade que tenta mostrar exatamente o que é ser frugal e como economizar uma boa grana.

Continue Lendo ...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...